quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Trecho do livro : De onde vem a calma

"Pela primeira vez eu tinha quem cuidasse de mim e não era contrária a isso. Onde quer que eu fosse ela me acompanhava, me apoiava. Era linda sua dedicação até nos pequenos detalhes, no nosso dia a dia. Quando tínhamos que sair, sempre tomava banho primeiro. Dizia que eu demorava, reclamava, mas não percebia que eu demorava de proposito, só pra vê-la sair enrolada no roupão, só pra vê-la andar nua pela casa decidindo o que vestir.

Eu ascendia um cigarro, sentava sobre a cama e assistia cada detalhe, cada peça de roupa posta. Primeiro a calcinha, depois o sutiã. Era lindo! Eu tinha os meus favoritos, o roxo com rendas pretas, o vermelho desenhado e o xadrez. Naquela pele morena... Era uma das visões mais bonitas que eu já tinha visto. Vestia sempre coisas lindas com pequenos toques particulares, detalhes que eu olhava e pensava: “Isso é tão ela”.

Depois tinha a maquiagem. Eu adorava vê-la colorir os lábios, realçar aqueles olhos castanhos... Ficava linda pra mim, ela dizia. Só pra me escutar dizer que ela estava linda e eu dizia. Não só porque ela estivesse, mas também pra ver aquele sorriso lindo que ela me dava quando eu dizia, aquele sorriso que acentuava a covinha que ela tinha no canto da boca, a mesma covinha que me servia de inspiração quando eu escrevia algum poema pra ela.

E me ajeitava sempre com tanto carinho, me fazia querer ficar linda pra ela também. Eu adorava o jeito feminino com que fazia isso, me dando atenção e sempre sabendo o que me faria gosto ou não. Ela cuidava de mim como se eu fosse ela. Dava pra ver nos seus olhos o melhor e esse melhor era pra mim, era sempre pra mim."

Nenhum comentário:

Postar um comentário